terça-feira, 21 de outubro de 2014

Operadoras brasileiras estão mudando o 3g parando a navegação em vez de reduzir a velocidade

As operadoras brasileiras estão finalizando um projeto que prevê a mudança da forma como é tarifada a cobrança para utilização de internet móvel no país. As empresas pretendem adotar o método aplicado em diversos países da Europa e Estados Unidos, aonde após o término da franquia o usuário não poderá mais navegar com a velocidade reduzida.


sim
Cobrança de internet móvel mudará em novembro.  / © AndroidPIT
Em novembro a Vivo deve ser a primeira a aderir esse novo modelo de cobrança, o que já impactará no mercado devido seu alto número de clientes ativos, cerca de 79 milhões atualmente. A princípio apenas clientes pré-pagos da companhia perceberão a mudança, que após atingirem o limite do pacote contratado terão sua conexão cortada, caso não optem por um pacote adicional. A Vivo comercializa o pacote de R$ 6,90 com 75MB validos por 30 dias, e caso o pacote se exceda, o usuário poderá optar por mais 50MB válidos por mais 7 dias com o valor de R$ 2,99. A exemplo de comparação na AT&T, operadora americana, um pacote com 2GB custa U$60 (R$ 146,14) válido por 30 dias, o pacote adicional de 1GB para uso após o término da franquia sai por US$ 15 (R$ 36,54).

Para especialistas, as operadoras devem notificar seus clientes ao menos 30 dias antes das mudanças, para amenizar quebra de contratos e reclamações. A estratégia pretendida pelas operadoras prevê um aumento na receita gerada com telefonia móvel no país, sendo que o Brasil figura entre os demais países com 29% de receita, bem longe do Japão que gera cerca de 68%, seguido da Coreia do Sul com  63%.

A cobertura, como fica?

Hoje quando nossa velocidade é reduzida, navegamos com cerca de um décimo do total contratado, ou seja, planos de R$0,60 por dia que fornecem 10MB de dados, são reduzidos para cerca de 160 kbps. Até ai, sem novidades. Porém nos modelos americanos e europeus que nossas competentes operadoras querem seguir, seja a franquia ativa ou reduzida, o cliente permanece na modalidade contratada, ou seja, se o pacote contratado foi de 4G o mesmo permanece 100% no LTE sem mudanças para 3G ou 2G por falta de cobertura, como ocorre hoje.
É natural que as operadoras optem por mudanças, tendo em vista que clientes pré-pagos possuem oferta mais barata e trafegam mais na rede por um investimento menor no mês. Mas, vamos garantir o serviço com mais qualidade antes de seguir padrões que não condizem com a realidade brasileira.
Como você recebe essas novas mudanças? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário